inspiração

Aqui tem cores, ilustrações, fotografias, vídeos e outras coisas legais

Zen Doodle

“Muito melhor que pintar, seria desenhar” era isso que eu pensava quando via aqueles livros para colorir. Olhava para eles e a primeira coisa que vinha na cabeça era: cara, como eu queria desenhar isso.

Até que um dia, em um dos milhares de spans no facebook, vejo um vídeo de algo que se chama zendoodle. Zendoodle é uma classe de desenhos usados como terapia, você consegue desenhar mesmo sem saber e no final tem um resultado maravilhoso!
E no you tube tem muitos outros vídeos para ver 🙂

Muito obrigado, axé

Uma amiga minha compartilhou essa música Linda! Feita por Carlinhos Brown e gravada por Bethânia e Ivete Sangalo para o albúm “Multishow Registro – Ivete Sangalo: Pode Entrar”.
Vale a Pena ver! 

Sharing Sunday

Estou cheia de trabalho [e muito feliz com isso]. Por isso resolvi compartilhar algumas coisas rápidas com você nesse domingo.

Eu adoro as fotos dele! Principalmente as fotos tiradas de cima, acho muito legal as pessoinhas lá embaixo vivendo a vida. Como eu estava acompanhando seus últimos trabalhos hoje, então resolvi deixar aqui algumas fotos dele pra você conhecer.

 

2. Ello
Estou no Ello agora e estou adorando! Se você também estiver lá, me adiciona 🙂 vamos trocar figurinhas por ali também.

Conheci James Kerr no Ello (além de vários outros artistas legais). E morri de rir vendo alguns gifs dele. Então trouxe alguns pra você dar umas risadas também.

 

 

 

Conheci ela pelo instagram e adorei seus trabalhos com as flores. A foto que coloquei no começo do post (escrito sharing sunday) é dela.
Espero que você tenha gostado das coisas que eu trouxe pra você conhecer! E você, tem algo legal pra compartilhar? Deixe aqui nos comentários o link, para que todos possam ver também 🙂
Ps. Estou com vários projetos em andamento, mas sempre que posso estou respondendo os comentários (por ordem de chegada), se eu ainda não respondi o seu comentário, calma que já chego lá. Obrigada pelo carinho!!

 

Hense e a Igreja

Essa semana, enquanto tentava me inspirar pra iniciar um novo projeto, encontrei o Hense (Alex Brewer). E só consegui pensar: “Como não vi o trabalho dele antes?” Então vim compartilhar aqui, pois você também tem que conhecer. O projeto que eu trouxe é de 2012 e foi feito no Sudoeste de Washington DC. Com uma comissão privada, ele transformou esta antiga igreja em uma obra de arte contemporânea. Se é divertido só olhar, imagine fazer!

Acima uma foto do Hense. Vale a pena conhecer seus trabalhos! Alguns me lembraram muito São Paulo.

Profeta Gentileza

Acho que você já deve ter visto isso por aí. “Gentileza gera gentileza”. Mas você sabe quem fez esse lema? Bom, hoje você vai saber um pouco sobre o autor e sua missão de vida. José Datrino, mais conhecido como o Profeta Gentileza é o grande autor. Ele escrevia esse e outros conselhos embaixo de um viaduto (na Av. Brasil – Rio de Janero). E nasceu em Cafelândia, pertinho de Sabino (minha terrinha amada).

Nos anos 80 ele pintou inscrições em 56 pilastras do viaduto. Foram quase 1,5 km. Seus textos eram em verde-amarelo, fazendo uma crítica ao Brasil e ao mundo sobre como desaprendemos a viver. Incitando-nos a praticar a gentileza em todo lugar. Seus ensinamentos eram simples, mas fazem todo o sentido para mim.

Ele foi homenageado com 2 músicas, uma feita pelo Gonzaguinha e outra pela Marisa Monte. Essas duas canções levam o título de Gentileza e são muito bonitas. Desde criança gosto muito da música da Mariza Monte e se quiser ouvir, clique aqui.


E para continuar inspirando seu dia, deixarei você com um vídeo bem legal que mostra como funciona bem esse lema “Gentileza gera Gentileza”. E a versão em tamanho menor da ilustração que fiz desse lema, caso você queira levar ele com você ou para seu blog. E se quiser ser gentil, deixe a imagem redirecionada para esse post, assim todos vão saber onde pegar ela ou conhecer um pouco mais desse profeta brasileiro.


Pra pegar a imagem, basta clicar nela e salvar em seu computador.


Ready-Made

Ready-made é um conceito de arte que desloca objetos do cotidiano para o contexto de uma exposição. Acho que você já deve ter visto o isso com Marcel Duchamp e seu urinol. Bom, não vou mentir que a primeira vez que vi essa arte fiquei chocada e meio que desapontada com o artista. Acho que ainda não tinha pegado o feeling desse tipo de arte. Mas semana passada, durante um passeio com roteiro arquitetônico em São Paulo, tive o privilégio de ver uma exposição muito legal com esse conceito de arte. Achei tão legal que tive que interromper meu roteiro para passar algumas horas me deliciando com a exposição.
A exposição se chama Ciclo – Criar com o que temos. E está no Centro Cultural do Banco do Brasil até outubro. “O Ciclo proporciona um novo olhar sobre objetos comuns e a maneira como eles são utilizados pelos artistas contemporâneos, modificando a experiência do cotidiano” O resultado ficou tão legal que vale muito a pena visitar a exposição (R$ 0,00) sozinho, com amigos e até crianças! 
Pra você ter um gostinho das coisas legais que poderá ver, no dia 6 de setembro Song Dong, um dos artistas no Ciclo, converteu sua obra em performance. Ele construiu uma réplica da cidade usando 600 quilos de doces e convidou o público para devorar a cidade! 

Como você se ama?

Como você se ama?” Li essa pergunta em um dos posts de uma amiga faz algumas semanas. E ela não saiu da minha cabeça…
É muito fácil responder quando a pergunta é “Você se ama?”. Daí resposta é simples: Sim ou Não. Mas “Como você se ama?” é outro tipo de pergunta. E depois de pensar muito [e ainda estou pensando enquanto escrevo], acho que a resposta esta em como nós vivemos, nas coisas que fazemos ou deixamos de fazer para nos preservar (tanto na saúde como na vida social), nos princípios de vida que optamos em ter… 
Não querendo ser clichê, mas poderíamos também dizer que  a gente se ama fazendo o que amamos. Aquela filosofia: Faça o que você ama. Claro que poderíamos, ainda mais se formos tão imaturo ao ponto de pensar que todo mundo tem a sorte de fazer o que ama ou de trabalhar com o que ama. Tem gente que tem a sorte de trabalhar fazendo o que ama [e se você é uma dessas pessoas: parabéns!]. Mas se você não faz isso, só posso dizer uma coisa: Ame o que você faz. Pois isso sim é um desafio, uma boa filosofia de vida e uma ótima maneira para se amar! Aprenda a amar cada coisa que você faz no seu dia, mesmo que você não goste, mesmo que uma dessas coisas seja lavar a louça. Não importa o que você faça, faça com amor. Ofereça carinho em tudo o que você faz. Aprenda a fazer as coisas com amor. Acho que é assim que eu me amo. Acho que essa é uma boa maneira para se amar.
Como você se ama?
Blogagem Coletiva: Rota Roots
Tema: “das cartas que eu nunca te escrevi”